Acompanhe em tempo real a preparação de um atleta para a maratona de Tóquio 2020 e aproveite as dicas

Postado 03/09/2018 por Redação Flow

Musculação, HIIT, velocidade crítica, limiar de lactato. Acompanhe o passo a passo da Leticia Saltori e sua busca pelo índice na maratona olímpica de Tóquio em 2020 E aí galera, tudo bem? Hoje a minha conversa vai ser um pouco diferente. Ao invés de falar sobre coisas técnicas, quero apresentar a todos meu novo projeto […]

Musculação, HIIT, velocidade crítica, limiar de lactato. Acompanhe o passo a passo da Leticia Saltori e sua busca pelo índice na maratona olímpica de Tóquio em 2020

E aí galera, tudo bem?

Hoje a minha conversa vai ser um pouco diferente. Ao invés de falar sobre coisas técnicas, quero apresentar a todos meu novo projeto pessoal: conseguir um indicie para a maratona da olimpíada de 2020.

É claro que não é pra mim, heheheh. Nessa semana fechei um projeto de assessoria para a atleta Leticia Saltori, e nosso objetivo é conseguir uma vaga para a maratona na Olimpíada de 2020, em Tóquio no Japão.

Não vai ser das tarefas mais fáceis, mas o que está me motivando é justamente o desafio. A Leticia é uma atleta bem experiente e tem várias marcas expressivas (veja o currículo dela lá no final), mas eu acho que dá pra melhorar muito mais ainda.

Só pra se ter uma ideia de quão longe (ou perto, sei lá) a Letícia está dessa conquista, as mulheres classificadas para a maratona no Rio em 2016 foram a Adriana Aparecida da Silva (com o tempo de 2h31’23), Marily dos Santos (2h37’25”) e Graciete Moreira Santana (2h38’33”). O melhor tempo da Leticia na prova é de 2h47’. Mas isso foi em 2012! E de lá pra cá o foco da Leticia foi mais em provas de “cross-country”, tipo corrida de orientação, corrida em montanha, etc. Ou seja, algo completamente possível!

Para chegar lá vamos ter muito trabalho. Mas muito trabalho mesmo. O primeiro passo foi inserir na rotina de exercícios a realização de treinamento com pesos. Musculação pesada mesmo. Sabemos que inicialmente isso vai prejudicar um pouco a performance, até que ela se adapte a tais exercícios, porém com o tempo essa maior força muscular vai acabar melhorando muito a eficiência muscular e a economia da corrida. Resultado: velocidades mais altas, mais resistência e tempos menores.

Vamos utilizar alguns parâmetros para controlar o efeito dessa mudança de estratégia no desempenho dela, e por isso, realizamos avaliações de 1600m e 3000m agora e que vamos repetir depois de 8 semanas, e isso vai  nos dar uma ideia de quanto podemos exigir da Leticia na sala de musculação.

Na academia as coisas serão simples: poucos exercícios, muita carga uma única série (isso, uma só), grandes amplitudes e muita atenção à técnica de execução. Treinamento funcional? Core? Superfícies instáveis? Esquece! Não precisa de malabarismos. Qualidade e intensidade são os segredos para os exercícios com pesos. As sessões não vão durar mais de 15-20 minutos.

 

Currículo esportivo da Leticia:

 

Melhor performance na rua:

Campeã da Maratona da Serra do Rio do Rastro(Uphill).

Melhor tempo da maratona 2h47(Porto Alegre).

Melhor tempo 5km 17’50”(PR).

Melhor tempo 10km 37’21”(RJ).

 

Melhor performance Trail Running:

Bi-Campeã Maratona dos Perdidos(PR).

Bi- Campeã KTR 42km(MG).

Vice-Campeã 90km Agulhas Negras(RJ).

Vice-Campeã 100km El Cruce- Argentina.

 

Melhor performance Corrida de Orientação.

Bi-Campeã Sulamericana de Corrida de Orientação – (Brasil e Uruguai).

Participação em 6 campeonatos Mundiais:

Cross Country-Servia.

Maratona – Suriname(2º lugar por equipe).

Mundial de Orientação – Suécia.

Mundial de Orientação – Áustria.

Jogos mundiais na Coréia do Sul (para os jogos fizemos Training Camping na (Escócia e Turquia).

 

Texto: Ricardo Souza