Agachamento Educativo

Agachamento Educativo

  • Posted by Leandro Monteiro
  • On 11/03/2020
  • 0 Comments

Por que fazer o Agachamento Profundo Educativo?

Atingir ângulos menores que 90 graus no agachamento é importante para desenvolver  força, hipertrofia muscular e aumentar o gasto calórico dos membros inferiores. Como obter menores amplitudes de movimento no agachamento sem prejudicar o treino diário?

O quadril é uma articulação que tem como principal função articular mobilidade multiplanar,  deve se movimentar satisfatoriamente para flexão e extensão (plano sagital), para abdução e adução (plano frontal) e para rotações externas e internas (plano transverso), preferêncialmente em cadeia fechada.

O agachamento profundo é um exercício que estimula a flexão e extensão em amplitudes menores que 90 graus.

O padrão de movimento agachar tem como referência três pontos para serem considerados com um bom agachamento que seriam: o tronco paralelo a tíbia, a patela deve passar da ponta do pé e o púbis deve estar abaixo da linha da patela.

Essas referências de posicionamento devem ser observadas ao prescrever o padrão de movimento agachar nos treinos.

Essas amplitudes de movimento são um desafio para o sistema neuromuscular dos indivíduos adultos para permitir ângulos menores durante o movimento e que não são tão simples de atingir.

O que pode limitar essa mobilidade?

Um tornozelo rígido com pouca ou nenhuama dorsiflexão, um joelho com baixa estabilidade no plano frontal ou uma lombar que apresenta uma associação toráco lombar. Esses fatores isolados ou associados podem contribuir para uma baixa de mobilidade do quadril.

O agachamento profundo educativo é um recurso utilizado como uma estratégia positiva para o Sistema Nervoso Central perceber os menores ângulos articulares no agachamento.

Como realizar esse educativo? Ulitilzamos um taco, uma miniband e uma anilha, halter ou kettlebell como contra peso. O educativo acontece em três momentos, o primeiro é oferecer dorsiflexão, subindo no taco apenas com os calcanhares, a ponta dos pés apontando levemente para fora, o aluno realiza a fase excêntrica e permanece no final desta fase por 5 segundos, buscando a maior amplitude de movimento possível. O segundo estabilizar os joelhos utilizando uma miniband na altura da tuberosidade da tibia para evitar um valgismo na fase excêntrica e concêntrica do movimento. O Terceiro aumenta a força de gravidade com um peso nas mãos para oferece ao tronco a estabilidade que a lombar necessita para evitar participar do movimento, apoie o peso nas mãos, sem segurar o peso, mantendo os braços estendidos, isso gera uma força isométria nos músculos do core que estabilizam a região lombar.

Por tanto, o agachamento profundo educativo é sim um exercício que pode ser utilizado como uma estratégia de resgate da mobilidade do quadril para flexão e extensão. Os indivíduos que apresentam baixa mobilidade que limitam a amplitude de movimento sugere-se resgatar as funções de tornozelo, de joelho e da lombar com exercícios específicos para cada articulação ou apenas utilizando o agachamento educativo. Os recursos utilizados nesse exercício servem para permitir que o quadril alcance graus de amplitude de movimento menores que 90 graus que pela limitação de uma das funções citadas o impeça de se movimentar com liberdade.

Bons Treinos.

Autor: Monteiro, LS (2020)