Exercícios x Lesões

Postado 03/09/2018 por Redação Flow

Exercícios físicos x lesões: Atualmente, estudos demonstram cada vez mais a importância do exercício físico na prevenção e manutenção de um padrão de vida saudável. No entanto, sua prática pode determinar um aumento no risco de ocorrência de lesões, principalmente naqueles que praticam atividades desportivas. Lesões essas que podem, além de afastar o indivíduo da […]

Exercícios físicos x lesões:

Atualmente, estudos demonstram cada vez mais a importância do exercício físico na prevenção e manutenção de um padrão de vida saudável. No entanto, sua prática pode determinar um aumento no risco de ocorrência de lesões, principalmente naqueles que praticam atividades desportivas. Lesões essas que podem, além de afastar o indivíduo da atividade física, prejudicar sua atividade laboral e qualidade de vida acarretando em prejuízos econômicos importantes.

Que tal prevenir lesões na sua prática esportiva ou treinar de forma segura para que elas não ocorram?

 

A importância da avaliação física:

Antes de iniciar qualquer programa de exercício físico é necessário a realização de uma avaliação, com o intuito de reunir o máximo de informações referentes ao cliente. Lesões, horas de sono, alimentação, limitações, uso de medicamentos, histórico familiar ou pessoal sobre patologias crônicas-não transmissíveis e etc, são questões que podem interferir direta ou indiretamente nos resultados. A realização de testes para mensurar força, potência, flexibilidade, além de medidas antropométricas e dobras cutâneas também são utilizados, a fim de estabelecer parâmetros de comparação depois de um determinado período pré-estabelecido pelo profissional e realizar os devidos ajustes na programação de treinamento proposta inicialmente. É na avaliação física que o profissional deixa claro quais os mecanismos que podem levar o indivíduo ao objetivo que almeja. É importante frisar que: quanto mais informações o profissional tiver, maior será a possibilidade de um planejamento coerente com a realidade do cliente e, mediante a prática regular das atividades propostas, certamente a busca pela qualidade de vida e os objetivos secundários ocorrerão de forma mais significativa e segura.

 

Avaliação fisioterapêuticas 

Esse procedimento visa quantificar os achados clínicos de alterações no corpo planejando a prevenção de lesões e correção de disfunções do movimento. Pode ser uma avaliação postural, onde é possível detectar desvios anormais da coluna vertebral e segmentos corporais que podem ser piorados por prescrição ou execução errônea ou uma avaliação fisioterapêutica clínica investigando a queixa do paciente a partir de testes clínicos e avaliação do movimento e função.

 

Dor no ombro?

A prevalência de dor no ombro é estimada como sendo 15,4% em homens e 24,9% em mulheres (PASCUAL, PAGE, SERRA-ANO, 2017). Uma das patologias mais frequentes no complexo do ombro é lesão do manguito rotador envolvendo a tendinopatia de quatro músculos: supraespinal, infraespinal, subescapular e redondo menor (SAYAMPANATHAN et al, 2017). Essas lesões são comuns em atletas causando dor e disfunção em todos os esportes e níveis competitivos, gerando também impacto na vida diária do alteta, no seu plano de carreira e até na sua habilidade de participar de competições (WEISS et al, 2018). É atleta e quer prevenir Lesão do Manguito Rotador ou já sofreu ou sofre com essa patologia? Procure a gente, nossos profissionais estão capacitados para reabilitar e prevenir essa lesão!

 

Já ouviu falar na síndrome da dor patelofemoral (SDPF) ?

Essa síndrome é a causa mais comum de dor anterior no joelho em adultos jovens. É definida como uma dor anterior envolvendo a patela, retináculo e tecidos moles adjacentes após exclusão de patologia intra-articular (GULATI et al, 2018).

O tratamento dessa síndrome deve envolver o fortalecimento dos músculos do quadril e joelho, tronco (NASCIMENTO et al, 2018), melhorar a biomecânica do membro inferior e modificar o estilo de vida aumentando a flexibilidade, corrigindo a marcha e retreinamento com técnicas próprias e repouso adequado (GULATIL et al, 2018). No CT podemos fazer todo esse tratamento, pois temos fisioterapeutas e profissionais de educação física altamente capacitados. Agende sua aula experimental e venha conhecer nosso trabalho de perto!

 

O que é síndrome do piriforme?

Essa síndrome é uma desordem muscular causada pela compressão ou irritação do nervo ciático no canal infra-piriforme (sub-piramidal) e causa dor do tipo ciática, formigamento e dormência que começa nas nádegas e irradia para baixo no trajeto do nervo ciático indo para coxas e pernas (HICKS; BHIMJI, 2018). O tratamento conservador para essa síndrome inclui modificação das atividades (posturas habituais e exercícios físicos), o uso de drogas anti-inflamatórias, fisioterapia e injeção local de anestésicos ou corticoesteróides (indicados a depender do caso). Posturas que irritem o ciático devem ser evitadas tais como agachar, torção da perna, escaladas e ciclismo (HAN et al, 2017). Se sentir algum desses sintomas, procure um ortopedista, faça fisioterapia e venha treinar com a gente!

 

Osteoartrite

Osteoartrite (OA) é uma desordem articular caracterizada por degeneração progressiva da cartilagem articular resultando em uma perda de espaço articular e perda de formação óssea central e marginal (LIN et al, 2014). Exercício tem sido recomendado no controle da osteoartrite para melhora da severidade da doença, níveis de dor e status funcional. O tipo e dosagem do exercício devem ser individualizados e baseados nos achados, nos desejos e preferências do paciente (BENNEL, DOBSON, HINMAN, 2014). O fortalecimento muscular é importante para portadores de OA e exercícios tanto de alta quanto baixa resistência tem se mostrado eficiente para esse público (JAN et al, 2008) sendo o mais importante garantir a sua aderência ao programa de treinamento

A prática regular é fundamental para o alcance dos resultados, como o aumento da massa muscular, diminuição de gordura corporal e resistência. De modo geral, consegue-se ter melhoria na qualidade física, no desempenho, possibilitando a execução de exercícios mais complexos e com outros instrumentos, melhorando a composição corporal de forma significativa em curto espaço de tempo.

 

Exercícios físicos podem prevenir a depressão.

Quando fazemos exercícios o corpo libera hormônios como a endorfina e a serotonina, ambos responsáveis pela sensação de felicidade e por isso ajudam a prevenir a depressão.

 

Core x exercícios:

O core é um conjunto de 29 músculos que se contraem em conjunto para estabilizar e proteger a coluna contra as sobrecargas compressivas e forças de cisalhamento (ação de causar deformação) que atuam sobre ela. Esses músculos são extremamente importantes na estabilidade da coluna sendo considerados os seu principais  estabilizadores ativos. Exercícios específicos podem ser utilizados quando o indivíduo tem déficit ou atraso na ativação de algum desses músculos, mas a melhor forma de trabalhá-los é através de exercícios integrados e funcionais que simulem sua ativação nas atividades de vida diária. Assim, ao realizar atividades rotineiras que envolvam deslocamento, levantamento e transporte de pesos, o aluno possa contraí-los de forma a proteger sua coluna.